JORNAL DE LEIRIA – Quinta-feira, 10 de Setembro de 2015

O número de portugueses que utiliza a internet cresce a cada mês. Trabalhar, jogar, comprar e namorar, tudo se faz através de bits e de bytes.Mas, apesar da aparente ligação com o mundo, estamos a perder a capacidade de comunicar e reflectir

Em quatro anos de existência, a agência matrimonial Mi Amore já formou 380 casais em todo o País. A internet, explica Susana Teixeira, directora-geral da agência, tem sido uma ajuda fundamental nesta actividade. Como? Apesar de estar sediada em Leiria, a agência actua em todo o País e também junto da comunidade emigrante. Quem procura a sua cara metade inscreve-se online, envia os seus dados à Mi Amore, e é por sua vez a agência que procura o perfil de alguém compatível com as expectativas demonstradas. Tudo é feito à distância com o apoio da agência, até que cada uma das partes aceite conhecer presencialmente a outra. Uma semana ou semana e meia bastam para que o primeiro encontro se concretize. Mas quem prefere solicitar este serviço a sair de casa e conversar com várias pessoas até encontrar o par perfeito? Susana Teixeira diz ter clientes de realidades muito diversificadas. “Médicos, mecânicos, desempregados, aposentados, entre outros. Sendo que eles e elas têm em comum o facto de saberem bem o que desejam e de não quererem perder muito tempo a encontrar a sua cara metade”, expõe a directora. “É difícil encontrar o par quando só se tem tempo para percorrer o caminho de casa para o emprego, ou quando se tem filhos, ou quando não se tem um grande grupo de amigos”, exemplifica. É nessa fase da procura que a agência abrevia o caminho, cruzando perfis compatíveis.

Partilhar nas redes sociais